Melhorando a Alimentação: Primeiros Passos

Se você tem interesse no assunto, deve fazer parte dos 99% da população que já fez algo do tipo: “Promessa de ano novo; melhorar a alimentação – leia-se perder peso -, iniciar atividades físicas…, Segunda feira eu começo a dieta” e por ai vai.

Muitas vezes a vontade existe, mas diante tanta informação (experimenta colocar “dieta” no google e veja quantas correspondências surgem) as pessoas acabam não sabendo por onde começar, ou ainda, acabam radicalizando demais (frango com batata doce, jejum intermitente, dieta da lua, sal daquilo, açúcar disso, limão no jejum, na veia, no olho…).

Diante esse caos de informação e pensando naqueles que desejam ou ainda nem sabem que gostariam de iniciar essas mudanças irei ajudá-los a dar os primeiros passos, os quais considero fundamentais nessa jornada, afinal muito diferente do que a maioria pensa, mudar os hábitos alimentares ou a dieta, não é algo com data para acabar, muito pelo contrário, assim como nos estudos, relacionamento e trabalho nunca chegamos estará sempre em constante evolução e aprendizado.

Papel e caneta na mão, ou melhor, smartphone em modo anotação, pois ai vão as 3 DICAS para melhorar a alimentação:

1 – Água; desculpem o clichê, mas mesmo sendo algo extremamente difundido não só pelo nutricionista, mas por todos os profissionais da saúde, a ingestão de água é a base de tudo. Quantidade e fracionamento, lembre-se dessas duas palavras. Quanto? Inicie com 35 mL por kg de peso corporal, ou seja, se eu peso 70 kg devo ingerir pelo menos 2,450 L ao dia, bem fracionado. (35 mL x 70 kg = 2,450 L)

2 – Diminua a quantidade de alimentos processados e ultraprocessados (industrializados em geral) e aumente a quantidade dos in natura ou minimamente processados.

Diminuir – Processados e ultraprocessados; legumes em conserva, frutas em calda, queijos e pães, incluem refrigerantes, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”

Aumentar – In Natura ou minimamente processados; Folhas e frutos ou ovos e leite, incluem grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado.

3 – Comer sem distrações, com atenção plena; Esse é um ponto que a maioria negligencia, e não faz ideia o quanto poderosa é essa ferramenta. Entenda o por quê.

Hoje com a “falta de tempo”, todas nossas atividades são reduzidas ao mínimo de tempo possível, e com a alimentação não poderia ser diferente. Quando você faz  isso, come rápido, em locais barulhentos, utilizando aparelhos eletrônicos, totalmente distraído e estressado, não permite ao seu organismo identificar adequadamente a “entrada” dos alimentos no organismo. Dessa forma você não percebe a SACIEDADE que deveria ser sinalizada pelo cérebro e ainda prejudica todo o processo de METABOLIZAÇÃO (digestão e absorção). Portanto comece amanhã mesmo uma HIGIENE mental e ambiental para as refeições. Coma num local o mais calmo possível, com tempo hábil (pelo menos uns 30 minutos para o ato de comer) e sem distrações de eletrônicos, claro e se possível em boa companhia para pôr o papo em dia, afinal não esqueçamos que comer é também socializar!

Gostou? Deixa um like, não gostou, deixe sua crítica. Quer melhorar ainda mais sua alimentação, marque uma consulte e veja a mudança acontecer.

Posts Recentes

Deixe um comentário

(16) 99700-9861